domingo, 1 de agosto de 2010

Como missões surgiu na minha vida

Então meninas, quero aproveitar o blog pra divulgar um pouco sobre missões, o que é ser um missionário, como outros começaram a viver dessa forma e para começar conto com a ajuda de uma amiga muito querida, a Lore ....
Ela vai falar hoje como foi o início de tudo para ela. Aproveitem!!

Por Lourena Almeida


Olá, gente! Que desafio que a Patty me deu, hein? Rsrsrs
Vamos lá...


Sou Lourena, baiana, natural de uma linda cidade chamada Jequié, “quente pra caramba”, sou da Primeira Igreja Batista da mesma cidade, sou filha de um baiano moreno do olho verde, lindo demais e de uma mineira toda fofolete, rsrsrrs, tenho 3 irmãos, 2 meninos mais velhos e 1 menina mais nova, 2 cunhadas lindissímas e um casal de sobrinhos, meu príncipe e minha princesa . Me convertir no dia 13 de maio de 1996 aos 15 anos de idade em casa com meu irmão, a vida dele era tão cheia de Deus, que eu mesma fui atrás dele perguntar como era ser “crente”, então ele me falou de Jesus, e me perguntou se eu queria recebê-lo em meu coração, eu aceitei. Foi uma conversão genuina, nunca me desviei. Como minha igreja sempre teve muitos missionários e seminaristas, não demorou muito e me apaixonei por missões, e a maioria, talvés todos, eram de Jocum, e todas as vezes que ouvia falar de missões, meu coração quase saia pela boca. Um dia quando estava em casa sozinha, assistindo uma pregação do Pr Josué Yrion, (na época era fita de video), ao terminar a pregação uma criança cantou uma música linda e bem conhecida, então me ajoelhei ali mesmo e orei: “Senhor dai - me as nações por herança e os confins da terra por minha possessão”, depois disso, fui parar na Jocum... rsrsrs.. Tudo bem que levou quase 4 anos depois, esse episódio aconteceu quando eu tinha 16 anos. Mas, antes mesmo de ir, eu conheci King´s Kids, em janeiro de 1999, foram 3 meninas da Jocum de Recife dar um seminário em minha igreja, fizemos um acampamento onde foi bem marcante. E dois anos depois fui para Jocum, tinha 19 anos, e um mês depois seria meu aniversário de 20 aninhos, não foi fácil ter que deixar tudo, primeiro tive que enfrentar meu querido e amado pai, ele fez de tudo para que eu não fosse, também penso que não seja fácil vê um filho(a) sair de casa, principalmente como missionário(a), ele já havia permitido que meu irmão saisse e não retornou, assim ele não queria que acontecesse comigo, e uma das coisas que ele queria fazer para não permitir que eu fosse, foi tentar usar o meu emocional, então ele disse que iria embora, mas disse pra ele que não estaria me deixando e sim minha mãe, e a outra foi querer tirar a própria vida, pegando uma faca (como pai e marido de alguma forma ele tinha que proteger a família, como um bom nordestino ele guardava uma faca, mas nunca foi usada, talvés pra descacar uma laranja, um coco, enfim) que guardava na cabeceira da cama (na época as camas tinha uma cabeceira que parecia um baú), sem falar das coisas que eu ouvi que foram muito difíceis, vendo toda essa situação tomei a faca e perguntei chorando: - Onde fica os meus sonhos? Sai correndo, e minha mãe foi atrás de mim tentando conversar. No outro dia ele disse: - Filha eu te amo por isso não quis deixar você ir, mas se você quiser ir você pode ir. O interessante é que Deus me deu toda graça que eu precisava por ouvir tantas coisas de um pai, não foi tão agradável, então tudo que vinha em mente pra dizer era: “pai, eu te amo”. Não havia desfeito as malas porque eu entendia em meu coração que era o que Deus queria. Ele não me levou na rodoviária, tive que pedir pra uma amiga, e então fui cheia de mala pra Jocum, só eu e Deus. Não foi fácil. Interessante que depois de muito tempo, no ano passado pra ser mais exata, no dia do aniversário dele, em uma reunião de família, ele disse que no dia daquela conversa, ele havia ido pra um lugar sozinho la em casa e foi pensar no que havia acontecido, então veio algo em sua mente que ele poderia esta atrapalhando minha vida se não deixasse eu ir, penso que era Deus falando com ele. Então fui pra Jocum base de King´s Kids em Pitangui - MG .Estive também servindo outros ministérios da base, mas sempre trabalhando com King´s Kids.

 Vivenciei muitos momentos naquele lugar, de tristeza, de alegria, diversões, amizades, loucuras, perdas, frustrações, decepções, momentos que marcaram minha história e que eu vou levar pro resto da minha vida, mesmo sendo difícieis, mas fundamentais para meu crescimento. Construir uma família, tenho parte dela espalhada pelo mundo fazendo diferença. Jocum – Pitangui foi um lugar de cura e restauração para minha vida, um lugar onde pessoas olharam pra mim e viram possíbilidades, onde vestiram a camisa e lutaram por mim sem medo do que viria pela frente, um lugar que se unem para lutar por um objetivo mesmo com dificuldades.
E depois de 9 anos servindo a Deus em Jocum, recebi outro desafio, desligar de Jocum e ir trabalhar em uma igreja no Rio de Janeiro dentro do ministério de King´s Kids. Atualmente estou morando no Rio.


Por Lourena Almeida

Continua amanhã... (volte e veja a continuação)

No amor de Painho (como diria a baiana),
Patty Dutra

Um comentário:

mariiiii disse...

Ameei, entrem no meu tbm !
http://atalaiamari.blogspot.com
Bjux queridas !