quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Depressão - Parte 2

A alimentação pode ajudar a combater esse mal


Por Svetlana Godoy
Continuando...

Outro fator que está ligado ao quadro de depressão é o desequilíbrio intestinal. Não sabia? O intestino que não funciona bem interfere na produção correta dos neurotransmissores, que são responsáveis pelo equilíbrio do humor, da depressão e, até mesmo, da vontade de comer doces e carboidratos em geral, trazendo os famosos quilinhos a mais. A produção do neurotransmissor serotonina tem sua produção em torno de 80% intestinal. Dessa forma, é muito importante tratar e reequilibrar a flora intestinal, e com isso podemos evitar a utilização de antidepressivos quando estiver ainda na fase inicial.

Algo muito importante é a questão da alimentação alergênica, como, por exemplo, o uso constante de leite e seus derivados, fazendo com que o triptofano, que é precursor da serotonina, caia suas concentrações na corrente sanguínea. Uma constatação é que 85% de pessoas deprimidas são alérgicas. Existe uma forte relação entre depressão e alergias alimentares. Faz-se necessário, então, fazer exames bioquímicos, analisar os sinais e sintomas, para analisar e detectar quais alimentos estão causando problemas e retirá-los. Alimentos que para alguns são remédio, para outros podem ser veneno. Outro fator de efeito negativo é uma alimentação rica em açúcar, cafeína e gordura trans (leite integral, carnes, biscoitos, margarinas, pipoca de microondas, entre outros), e estudos têm demonstrado que a diminuição do consumo desses alimentos tem contribuído e muito para combater a depressão. Uma boa dica é incluir o famoso chocolate amargo, que tem em sua composição mais de 70% de cacau, e esse é o melhor alimento que atua no humor, estimula a liberação de endorfinas, eleva a disposição mental e consequentemente afasta a depressão.
Em casos graves, todos os nutrientes aqui citados podem e devem ser suplementados, inclusive alguns não encontrados em alimentos, como fosfatidilserina e os fitoterápicos, que também são de grande valor. Acrescente chás também diariamente, como valeriana, passiflora, camomila entre outros.

Muitos dos pacientes acabam melhorando e deixando a famosa tarja preta, e isso tem trazido esperança para nós nutricionistas e também para os pacientes. Uma mudança real na qualidade da alimentação, com a inclusão de suplementos (vitaminas, minerais, precursores) aliada à atividade física, sendo cada paciente orientado individualmente de acordo com cada caso, tem trazido qualidade de vida, curas reais e grande motivação para muitos continuarem a viver. Há esperança para você, não desista!




Svetlana Godoy é
Nutricionista Clinica e esportiva funcional.
Atende na clínica Fausto Bermeo (em Brasília).


Gente, essa linda aí é a minha doctor que tanto falo. Mulher de Deus, cheia do Espírito Santo e excelente em tudo o que faz. Deus tem usado muito a sua vida para restaurar a saúde de muitas outras Inclusive a minha! Foi um presente de Deus encontrá-la, que além de excelente médica é uma grande amiga.
Essa daqui é a parte 2 da matéria. Eu a divide em 3 partes porque era muito grande, mas como é muito boa e pode ser benção para você ou para alguém que você conhece, ela tá na integra. Então leia tudo. É muito interessante como os alimentos podem influenciar no nosso humor.
Espero que sejam abençoados através da matéria.

No amor do Pai,
Patty Dutra

Um comentário:

Menina aos olhos do Pai disse...

Querida, gostei muito do seu blog. Estou seguindo, flor.

Se quiser dar uma passadinha no meu www.meninaaosolhosdopai.blogspot.com será muito bem vinda!

Deus te abençoe!