segunda-feira, 29 de novembro de 2010

(Des)aprendendo...

Nossas conversas (da Mah e eu) e aprendizados que são geralmente falados(I mean, horas no telefone), mas começam a virar e-mails com preciosos ensinos para outros e desses e-mails, eu começo a extrair as pérolas do que temos aprendido e sendo desafiadas a viver.
Talvez você não compreenda tudo o que ler, e fique cheia de questionamentos... Tudo bem, nós também os temos. Estamos (des)aprendendo também. A caminhada é longa, mas, sabemos, recompensadora. Mas ainda que não entenda tudo, saiba, há um novo nível, muito maior, por sinal, para entrarmos e vivemos em Deus. Leia, releia... e leia novamente. Deixe o Espírito desafiá-la também a alcançar as alturas.


Palavras da Mah:
Há ainda muito para aprender a cerca do sobrenatural de Deus. O mundo invisível é mais real do que o mundo visível. Nossa fé precisar partir do espirito e não da alma.

Muitos de nós não sabemos porque estamos aqui (é verdade, você sabe porque nasceu? Não vale responder: "para a glória de Deus" Queremos saber é se você sabe qual a sua missão aqui na Terra!- Patty). Não vivemos a vida abundante que Jesus comprou para nós. Intimidade e comunhão com o Espírito Santo liberam a revelação que libera identidade.

Arrependimento é metanóia (grego), isto é, mudar a maneira de pensar. Se pensamos de acordo com o que vemos, não somos diferentes do mundo em que estavamos antes. A fé continua operando a partir da alma, movida pela mente, movida pelos olhos naturais. Adão perdeu a capacidade de se comunicar com Deus, perdeu as vestes de glória que o cobriam.

A transformação que vem da renovação do nosso entendimento começa no espirito vivificado, o qual sujeitará a alma e a mente à obediência de Cristo, abrindo os olhos do entendimento para o Reino, a fim de termos a glória de Deus restaurada em nós, para vermos o que Ele vê, como Ele vê, e sermos movidos pela realidade das coisas invisíveis, as quais são mais reais do que as visíveis.

Um bom exemplo é o relato de Jesus dormindo no barco durante uma tempestade. No Reino não há tempestades. Jesus vivia a realidade do Reino acima do que se vê no mundo. A realidade do Reino onde Ele vivia, transformou a realidade do mundo onde Ele estava. Não somos daqui. Porque ainda vivemos como se fossemos, ainda que declaramos não ser?


Temos tanta fé. Mas não somos capazes de transformar o ambiente ao nosso redor. A fé que vem do espirito vivificado verdadeiramente move montanhas. Literalmente. Do contrário, seguirá sendo algo virtual, como era antes.

Há algo mais alem da letra. A Palavra é o próprio criador. Ele é maior do que tudo o que existe no universo. O que vivemos é muito pouco. Tem de ter mais!

Um comentário:

satire and theology disse...

That is a cool photo. The blue sky and clouds contrasted with the young woman.

Russ:)